A FLOR (Poesia)

A FLOR
Nascida no campo em terra lavrada, bela, rústica, silvestre!
Criada num jardim entre os seus pares, com muito amor.
Por espontaneidade na floresta gerada, livre e agreste!
A forma não importa, pois serás sempre uma flor!
Não tens espinhos, mas és de colheita delicada…
Teu caule frágil sente esmagar-se pela pressão!
Numa jarra murchas qual mulher enjeitada…
És flor do campo prender-te é sempre em vão!
Na primavera apareces com um brilho sedutor…
Vestida de verde e branco sob a forma de um botão!
Desabrochas em busca do tão desejado calor…
Recolhes tuas pétalas para te protegeres no verão.
Sob uma capa singela de verde e alvo, ousas aparecer!
Escondes rara beleza em pétalas de poder sedutor…
És suave e perfumada como só a margarida sabe ser.
És a rainha das flores sendo simplesmente uma flor!
Num ramalhete ou isolada exibes teu porte…
O branco, entre outras cores, ostentas de forma graciosa,
À luz do sol brilhas sem escolher sul ou norte.
És margarida pois então, não precisas de ser rosa!
Manuel Mota
Algures nos céus da Europa – Voo da TAP 27.09.2016

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s