PALAVRAS SOLTAS – O percurso

O Percurso


Ponto de vista Homodiegese
O despertador tocou. De forma automática, mas quase sem custo, levanto-me e dirijo-me para a casa de banho. Faço a minha higiene pessoal, visto-me e, em seguida, abandono o quarto onde a minha esposa ainda repousa o sono dos justos. 
O pequeno-almoço (fruta, galão e torradas com doce) é tomado sem pressas mas de forma eficiente. Osculo a minha mulher, sem a acordar e dirijo-me para o carro, de pasta debaixo do braço e blazer pelas costas. São oito da manhã e o caminho para o escritório é curto e rápido, infelizmente não é esse o caso na altura de aulas, em que o curto trajeto se alonga devido ao trânsito. 
Coloco o carro em marcha e percorro algumas ruas secundárias, entro no Eixo norte-sul, saindo para a Av. das Forças Armadas, para depois seguir em direção à Av. 5 de Outubro. Depois de estacionar o carro no parque sigo a pé até à Av. da República. 
O ar fresco da manhã faz-me sentir leve e a curta caminhada, depois de ter subido cinco pisos de escadas, ajudam a ativar os músculos contribuindo, juntamente com a natural boa disposição, para um bom início do dia de trabalho.
Ponto de vista Heterodiegese
Ele tinha um acordar fácil, por isso quando o despertador tocava levantava-se sem custo e fazia a sua higiene pessoal. Em seguida, vestia-se e ia para a cozinha, deixando a esposa a repousar. Durante alguns instantes ficava ali a olhar para ela! Ele gostava de a ver assim quieta, serena e solene, repousando o sono dos justos.
O pequeno-almoço era um ritual que se repetia todos os dias (fruta, galão e torradas com doce). Pronto para ir trabalhar ele pegava na pasta e descia até à garagem onde o carro estava estacionado.
Depois de percorrer algumas vias secundárias entrava no Eixo Norte-sul, para logo em seguida sair para a Av. das Forças Armadas e dirigir-se para a Av. 5 de Outubro. Daí até ao parque de estacionamento do edifício Goya era um salto. 
Felizmente decorria o mês de Julho e as férias escolares haviam desanuviado o trânsito de outra forma, apesar de serem oito da manhã quando saiu de casa, teria demorado uns bons vinte e cinco minutos. Invariavelmente subia as escadas e percorria a pé o curto trajeto que o separava do escritório, na Av. da República, altura em que aproveitava para ativar o “mecanismo” e começar o dia de forma jovial e bem-disposta.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s