SERÁS ETERNAMENTE MEU




SERÁS ETERNAMENTE MEU
A vida nem sempre é justa. A frequência com que recebemos uma bofetada, quando merecíamos um carinho é bem maior do que desejaríamos. Muitos dirão: É a vida! No entanto, ocasionalmente e de forma completamente aleatória, a vida é capaz de nos surpreender com um brinde ou uma prenda realmente valiosa. É disso que vos falo ao narrar os acontecimentos que se seguem.
Tatiana, apesar dos seus trinta e nove anos de idade era solteira e vivia com a única irmã. O pai tinha falecido quando ainda eram muitos novas e durante trinta anos tinham vivido com a mãe. Eram três mulheres de armas e muito unidas. Quando a mãe faleceu, fazia dois anos, as irmãs continuaram a viver juntas. As duas morenas, de um metro e oitenta de altura, destacavam-se em qualquer lugar. Não sendo nenhuns modelos eram elegantes e possuíam um rosto muito interessante. Isso chamava à atenção dos homens, mas o que realmente os prendia era a simpatia e o sorriso delas. A diferença de dois anos de idade, entre elas, não se notava e, dado que não eram muito parecidas, passavam quase sempre por duas boas amigas.
Ambas tinham vivido histórias de amor. Histórias que não estavam destinadas a ser escritas. Apenas histórias. Os acontecimentos que se avizinhavam estavam prestes a mudar isso para sempre. Talvez não da forma mais fácil, mas quanto a isso nada se podia fazer… é a vida!
A irmã tinha-se esmerado e a festa dos quarenta anos tinha sido planeada até ao mais ínfimo detalhe. Estava tudo sob controlo. Mas baralhar e voltar a dar é uma das artes do futuro. O telemóvel tocou.
«Estou! Fátima? É o primo Ricardo.»
«Olá Ricardo está tudo bem?»
«Olha tenho um favor para te pedir. O meu amigo Luís vai comigo para o Algarve, no fim de semana da festa da Tatiana. Posso levá-lo à festa?»
Fátima ficou aborrecida com o pedido. Ela tinha tido o cuidado de rodear a irmã do seus amigos. O Luís era um intruso, que nenhuma delas conhecia. O primo já lhe tinha falado do amigo, da sua recente separação e dos problemas que a namorada lhe estava a causar. Embora simpatizasse com a situação dele, levar esse tipo de problemas para a festa da irmã era tudo o que ela não queria. Infelizmente ela devia isso ao primo. Ele era muito mais do que apenas primo: era um verdadeiro amigo.
«Claro que podes Ricardo. Mas vê se ele não “contamina o ambiente”.»
«Não te preocupes, o Luís é sete estrelas. Obrigado.»
Despediram-se e Fátima ficou alguns instantes pensativa. Uma ruga de preocupação desenhou-se na sua testa.
A festa foi um sucesso. Foi uma festa de amigos. O Luís era um homem bem parecido, simpático, culto e com um sentido de humor fantástico. A sua aparência física não denunciava que tinha mais dez anos do que a Tatiana. Durante toda a festa ele nunca pegou no telemóvel para nada, um hábito que a irritava e que caraterizava o comportamento da maioria das pessoas.
«Isso foi porque ele desligou o telemóvel. A ex-namorada não o larga. Nem a ele nem aos que o rodeiam!» Disse o primo.
Aquele foi o primeiro de muitos encontros, bem menos casuais e menos públicos. Tatiana e Luís simpatizaram um com o outro, mas eram ambos cautelosos. Ela, apesar dos muitos namoricos e algumas paixões, nunca tinha tido uma relação que tivesse sido, simultaneamente, séria e duradoura. Isso tinha-a tornado descrente. Amor era uma coisa que ia e vinha com demasiada facilidade. Ele, depois de ter saído de um relação de doze anos, com alguns interregnos e vivendo em comum nos últimos quatro, preferia ter certezas antes de avançar. Todas essas cautelas e receios não foram suficientes para evitar que se apaixonassem. Passado um ano eles eram oficialmente namorados.
«Filho, tu andas diferente. Arranjaste uma nova namorada? Se não queres nada com a Patrícia vê se esclareces isso. Estou cansada dos telefonemas dela!»
«Sim mãe. Tenho uma namorada nova e vou dizer isso mesmo à Patrícia. Talvez assim ela me esqueça!»
Tatiana, conhecia bem o assédio da Ex-namorada do Luís. Ela não tinha perdido a esperança de o recuperar e como ele era um homem livre… Ela não achava o compartimento da outra saudável mas isso não lhe dizia respeito. Naturalmente que a partir desse dia a coisa mudava de figura! O que ela não podia adivinhar era que não estava preparada para o que o futuro lhe reservava.
Quando o Luís lhe narrou a conversa que tinha tido com a outra a primeira reação foi de incredibilidade. Depois ficou preocupada. A outra ia fazer da vida dele um inferno! Tatiana, ao amá-lo, iria arder com ele no mesmo fogo!
O amor deles era sereno. Tatiana era mais extrovertida  e estouvada que o Luís. Ela costumava dizer que eram as sua origens africanas. A verdade é que de africana ela não tinha nada a não ser o nascimento. Tinha vindo de Angola com apenas dois anos. No entanto, estava sempre disposta para a brincadeira e diversão, mas levava as coisas do amor muito a sério. Ele era calmo e dedicado. Era um homem de confiança. Ela sabia que podia contar com ele em qualquer circunstância. À medida que o amor dos dois foi crescendo, eles começaram a perceber que se completavam. Cada um engrandecia o outro e juntos eram muito mais que a soma dos dois! Apesar da certeza sobre o amor que via crescer entre os dois, ela não conseguia ignorar a sombra que a outra representava. A ex-namorada do Luís tinha desencadeado um ataque cerrado à relação. Para isso elegeu as redes sociais como arma preferida: o Facebook, o Instagram e o Linkedin. Numa área mais pessoal e dirigida, usava também o telefone do Luís e o da mãe do Luís.
De um dia para o outro o Facebook de Tatiana foi invadido por pedidos de amizade, “correntes” de amizade, recomendações, sugestões e outros contactos, de pessoas que ela não conhecia de lado nenhum. Ficou perplexa com aquele fluxo, sem entender o seu significado.
«A minha Ex. está a bombardear-me com mensagens no facebook.» Disse o Luís.
Tatiana percebeu tudo quando o namorado identificou algumas das pessoas que tinham invadido o Facebook e o Linkedin dela, como amigas da ex-namorada. A guerra tinha começado!
Tinham decorrido seis meses desde que Tatiana tinha começado a namorar com Luís e a pressão não parava de aumentar.  A outra tão depressa publicava declarações de amor, elegendo um momento que ela tinha estado com o Luís, como denegria a imagem dele, a propósito de um assunto qualquer. Em qualquer uma dessas publicações as amigas da outra apareciam a comentar, reforçando o que a outra dizia. Essas publicações eram intercaladas com telefonemas e mensagens enviadas para o Luís. Apesar do Luís não responder, por várias vezes lhe tinha pedido para parar. Perante a insistência dela, a forma que ele encontrou de ultrapassar a situação, foi mudar o número de telefone. A mãe dele recusou-se a fazê-lo e continuou a ser assediada, embora não com a frequência e intensidade dele.
A fixação da outra era saber tudo sobre Tatiana e usar isso para tentar destabilizar a relação. Perante a impossibilidade de o conseguir, através das redes sociais ou dos telefonemas, a outra mobilizou as amigas para irem aos locais que o Luís frequentava, junto de casa ou do local de trabalho, perguntar se conheciam a namorada dele, o que ela fazia, com é que ela era, enfim…
A pressão à volta deles era enorme. Tendo consciência disso eles falavam muito um com o outro sobre o assunto. Isso permitiu-lhes chegar ao fim do primeiro ano com uma relação forte, embora tenham tido muitos momentos de dúvida e preocupação. «Seriam capazes de resistir à pressão da outra?» O fim desse primeiro ano foi marcado por um facto desagradável. A outra decidiu publicar um post no facebook espalhando ódio. Não se contentou em envenenar a relação e decidiu insultar Tatiana. Tatiana perdeu as estribeiras e respondeu-lhe à letra. A resposta envolveu a devolução do insulto entre outras coisas. A outra não devia estar à espera desse tipo de resposta, pois foi a única vez que envolveu Tatiana nos seus comentários. A relação deles e o Luís passaram a ser os seus alvos exclusivos.
O segundo ano foi mais do mesmo. A grande diferença esteve na forma como ela e o Luís enfrentaram a situação. O amor deles estava mais forte e as provocações da outra e das amigas,  deixaram de os incomodar da mesma forma.  Ao fim de ano e meio de namoro eles decidiram casar. Coincidência ou não foi por essa altura, um mês antes do casamento deles, que a outra publicou um post, no facebook, que era uma declaração de amor, intensa e profunda, que acabava com a seguinte frase “Faças  o que fizeres tu serás eternamente meu”
Tatiana e Luís casaram-se. Embora isso tivesse pouca importância para eles, estavam curiosos sobre como a outra iria reagir. Foi com grande surpresa que viram que a outrae as amigas os deixaram em paz. Finalmente ela tinha percebido que a sua demanda tinha deixado de fazer sentido.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s