A Inspiração

Branca, limpa, fria e lisa,
hoje, como nunca esteve!
Sobre ti o lápis desliza,
num sussurrar leve, que a mão conteve.
Negra, sobre ti, a tinta
das palavras que ouso em ti gravar,
no teu mural a minha imaginação pinta,
aquilo que a boca receia pronunciar.
Será amor esta doce brisa?
Que o esvoaçar da pena provoca,
ou a paixão que a minha alma precisa,
quando, para te possuir, os Deuses invoca.
Num sopro profundo, vindo da alma,
o corpo explode e em uníssono grita!
Firme a pena, junto à palma
e sobre a folha, surge a escrita.


Manuel Mota
Dezembro 2013

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s