Murmúrios

Murmúrios

Murmúrios…

Canção de embalar em tom velado,

Uma voz doce que emana calor.

Está em paz, sente-se amado,

Surge o conforto, cala-se a dor.

Adormece, por fim, o corpo embalado,

Escutando palavras de carinho e amor.

Murmúrios…

Um viver em tudo mundano!

Doçuras que nos chegam aos ouvidos…

Num devaneio, de sabor bem humano,

Segredos nunca dantes compartidos.

Comportamento lúdico e insano,

Luxurias que despertam os sentidos!

Murmúrios…

Sussurros de uma alma pobre,

Ao ouvido numa mesa de café.

Maledicência de um ser pouco nobre,

Espalhados sem pudor e com má fé.

Empalidece o caráter: a honra morre,

Não regressará com a nova maré!

Murmúrios…

Carícias da voz que nos aquecem a alma…

Palavras que vibram de sentimento!

Num tom suave que não te acalma,

Mas tornam singular o momento.

Aclamação festiva com folhas de palma,

És a princesa que no peito acalento!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s