AMOR DESESPERADO

Amor Desesperado

Sara,

A hesitação que faz os meus dedos tremer, ao escrever estas linhas é apenas uma sombra quando comparada com a dor que me assola o peito.  Entraste de mansinho na minha vida e sem qualquer aviso tomaste de assalto o meu coração. Nem os compromissos, assumidos no meu casamento conseguiram resistir a este amor. Os teus sinais eram de uma mulher livre e o estatuto de divorciada confirmava-o. Talvez tenha sido eu que não quis ou não consegui ver, mas de uma maneira ou outra o amor cegou-me. Esse amor que me eleva ao paraíso para em seguida me mergulhar num inferno de desespero. Um amor que faz de mim homem, no verdadeiro sentido da palavra, ao mesmo tempo que consome todas as minhas energias, reduzindo-me ao mais insignificante dos seres. Amar assim é entregar-me a um sentimento que me explora e contrapõe aos momentos de felicidade, proporcionados pela tua rara presença, tempos de desespero, marcados pela tua ausência.

Triste e desamparado, muitas vezes, refugio-me no meu pensamento. Aí encontro um mundo de fantasia. Um mundo onde todos os meus sonhos são possíveis. Como por milagre, todas as coisas que nos impedem de estar juntos desaparecem e sonho com uma vida de felicidade. Finalmente, saboreio os teus lábios, como uma cereja doce e carnuda, e entrego-me ao prazer de um beijo que faz explodir a minha cabeça em sensações maravilhosas e indescritíveis. Os teus olhos castanhos, quase negros, sorriem para mim e os teus lábios pronunciam as palavras mágicas: amo-te. Nesse mundo de fantasia, vivemos eternamente, lado a lado, vendo os nossos filhos, uns apenas meus, outros apenas teus, crescer. Deixamos os nossos corpos unirem-se, numa busca faminta do prazer, que apenas essa união pode satisfazer. O simples toque da tua mão na minha produz uma sensação de prazer indescritível e de mãos dadas caminhamos pelo mundo como se ele fosse nosso. Admiramos o por do sol com a certeza de que continuaremos juntos quando a noite cair e o céu se cobrir de estrelas, ou quando e sol nascer e voltar a ser dia outra vez.  Os dias repetem-se, transformando-se em meses e em anos e a nossa felicidade aumenta a cada segundo, fortalecendo o nosso amor de forma a torna-lo invencível.

Talvez não queiras ouvir esta confissão e nem sequer abras esta carta, pois acredito que não vives este sentimento com a mesma intensidade que eu. Não digo que eu te seja indiferente, mas a amizade que enche o teu coração, está muito longe de igualar o amor que transborda no meu.   Talvez eu não consiga deixar para trás a minha família, mas isso é irrelevante pois tu não és o meu futuro, podias sê-lo, mas não tens dentro de ti essa vontade.

Desculpa se te incomodo com este amor desesperado, mas é algo demasiado pesado para suportar sozinho.

Amo-te.

Manuel

2 thoughts on “AMOR DESESPERADO

  1. Parabéns Manel.
    Tens a intensidade do Camilo CB .
    Mas consegues condensar melhor que ele que precisava dumas 5 páginas para esta declaração .

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s