AMOR INCÓGNITO – TAKE 3

Querida M,

Fiquei em estado de choque. Primeiro porque a carta que leste tinha como único destinatário o meu arquivo, depois porque não esperava que nutrisses por mim algo mais do que uma amizade. Uma amizade forte e sincera, mas apenas uma amizade. Na verdade, é isso que as tuas palavras dizem, embora, nas entrelinhas, se note que, em ti, vive algo mais profundo que isso. Leio a tua resposta outra vez e concluo: Escondida dentro de ti existe uma semente cujo destino está ainda por decidir. Essa semente tanto pode definhar e desaparecer, como dar lugar a um grande amor. Tu dizes que não queres dar-me falsas esperanças e, na verdade, eu já elucidei o meu coração. Ele sabe com o que pode contar. A sua natural rebeldia e o seu espírito sonhador fazem com que viaje, no tempo e no espaço e procure constantemente o bálsamo para a sua dor: tu. Com cuidado e delicadeza eu vou-o chamando à razão, embora confesse que muitas vezes me faltam as forças e, também eu, ceda à tentação do sonho. É tão bom sonhar!

Não fiques triste por teres, com o teu comportamento, despertado em mim a chama deste amor. É minha a responsabilidade por albergar e viver com este sentimento. Fui eu que não soube impedi-lo de se agigantar dentro mim. As nossas conversas são momentos únicos que me permitem conhecer-te todos os dias um pouco mais e aprender cada dia algo de novo. Tu és uma mulher admirável. Não te preocupes, que não confundo esta admiração com qualquer idolatria. Ninguém é perfeito. Reconheço e aceito que tens defeitos, tal com eu, mas estou consciente de que não tenho de gostar de tudo em ti, mas ter a certeza de que gosto de ti com tudo. E gosto… meu Deus como gosto! Independentemente de tudo o que eu diga ou faça, tu seguirás o teu caminho. É assim que deve ser, pois se o destino nos juntar que seja porque queiramos, verdadeiramente, estar juntos e não pela beleza de algumas palavras, escritas ou ditas. Tens que viver o teu amor até ao fim, tens que vivê-lo até chegares à conclusão de que ele nada mais tem para te dar. Tens que vivê-lo, ignorando aquilo que eu sinto por ti, pois se este terminar, que seja porque chegou ao fim e não porque eu te amei. Os amores não se trocam, pois quando isso acontece a comparação acaba por matá-los. Para que um novo amor floresça o anterior tem antes de deixar o espaço livre, seja qual for a razão da sua partida.

Mergulho na tua carta uma vez mais. Leio-a com atenção e imagino, estampado no teu rosto, o receio que tens em verbalizar aquilo que sentes por mim. Afastas esse sentimento do teu coração e da tua razão, com razões que a própria razão inventa. Verbalizá-lo significa reconhecer a sua existência. É como dar vida a um personagem de um livro. Quando este abandona a pacatez da simples folha de papel e se deita ao teu lado, passa a ocupar um espaço e exigir uma atenção que não te permitem continuar a ignorá-lo. Por isso o procuras limpar da tua mente. Focas-te no tanto que tens a perder, abandonado a relação anterior e com isso esqueces o muito que tens a ganhar, com o que podes amar de novo. Amar significa estar vivo, embora isso por vezes possa ser bem doloroso. Mas a vida é feita de opostos e a felicidade é bem melhor saboreada, quando se conheceu a infelicidade. Uma é, de certa forma, a medida da outra.

Não me peças desculpas. O sentimento que me enche o peito e me avassala, é demasiado lindo, profundo e puro, para gerar arrependimentos ou culpas. Quando existem, aí sim, haverá lugar a desculpas. O destino será aquele que tiver de ser e este sentimento, correspondido ou não, faz parte desse destino. Um destino que eu abraço sem culpa nem remorso. A dor faz parte da vida e faz-nos crescer, desde que tenhamos a capacidade e a força de a tornar numa coisa boa. Hoje eu não trocaria a minha por nada neste mundo que representasse a tua ausência!

Eu disse que não queria só a tua amizade, mas se prescindir dela significa o teu afastamento, então vem ser minha amiga. Prefiro a dor a tua presença amiga ao desespero da tua ausência. O tempo dirá se o meu amor se transforma numa amizade ou se o teu sentimento se deita contigo como amigo e acorda amando como se não houvesse amanhã. Nas questões do amor o possível e o impossível misturam-se de uma forma pouco lógica gerando resultados imprevisíveis. As tecedeiras do destino desfazem a meia e tecem a trama na qual a nossa vida se desenrola, mas nem elas conseguem abalar a certeza deste amor. A calma com que vivo este sentimento é quase assustadora, pois ela resulta de uma convicção tão profunda de que iremos estar juntos, que se isso não acontecer nesta vida acontecerá, seguramente, noutra encarnação. Que Deus te abençoe, o sol te ilumine, a saúde te bafeje e a felicidade seja presença contínua na tua casa.

Com amor

Incógnito

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s